Evangelismo Urbano

[bb]EVANGELISMO URBANOevangelismo

De todas as escolas, a melhor e infalível é a do mestre Jesus Cristo. O segredo do evangelismo urbano, assim como em outro contexto não se limita apenas a estratégias, mas a disposição dos “evangelistas”, do departamento evangelístico, da igreja e do pastor.

Evangelismo é uma tarefa coletiva, inclui até os que não vão as ruas. Refiro-me aos que apoiam em oração, recepção, o apoio e incentivo aos participantes. Explica-se, algumas frases missionárias, criadas por quem teve as suas vidas dedicadas e envolvidas com evangelismo o tempo todo.

“Eu vou descer, mas vocês não se esqueçam de segurar as cordas” William Carey.

“A grande comissão se faz com os pés dos que vão, com os joelhos de quem oram, e com as mãos dos que contribuem”. Anônimo.

Essas frases se aplicam primariamente a missões, mas também para o evangelismo local.

O estudo da teologia da evangelização urbana objetiva entre outros fatores o seguinte:

Tomar consciência da realidade das cidades e seus desafios

 

  • Considerar os fatos bíblicos e os princípios relacionados com missões urbanas
  • Apreciar os métodos evangelísticos urbanos hoje adotados
  • Elaborar projetos objetivando a evangelização das cidades

 

Fatores determinantes da urbanização

  • A industrialização: O processo de industrialização provocou o crescimento, fazendo surgir megacidades;
  • O crescimento natural da população
  • Desejo de melhores condições de vida: escola para os filhos, melhores salários, assistência médica;
  • Atração pelos grandes centros: A penetração das imagens de TV que iludem com expectativa de vida melhor;
  • Mecanização da agricultura e consequente desemprego.

 

A COMPLEXIDADE DO HOMEM URBANO

I. Psicossociais

a)    Anonimato

b)    Alienação

c)    Isolamento

d)    Despersonalização

II. Morais e Religiosas

a)    Tendência a ser um cristão nominal

b)    Relaxamento dos padrões morais

c)    Inclinação à autossuficiência

III. Cívicas e Políticas

a)    Consciência política mais acentuada

b)    Tendência a ser influenciado por grupos de pressão

IV. Problemas do homem moderno

a)    Econômicos

b)    Violência urbana

c)    Questões sociais/Educacionais

d)    Crises na família

e)    Psicológicos

f)     Espirituais e morais

VI. OBSTÁCULOS AO CRESCIMENTO DAS IGREJAS URBANAS

a)    Ausência de credibilidade da igreja enquanto comunidade

b)    A perda da linguagem comum

c)    Isolamento

d)    Separação

e)    A insegurança urbana

f)     O ativismo

g)    Medo

h)    Inabilitação para testemunhar

VII. ESTRATÉGIAS DE EVANGELIZAÇÃO URBANA

a)    Equipes de oração

b)    Testemunho pessoal

c)    Pequenos grupos

d)    Equipe de visitação: lares/escolas/hospitais/presídios

e)    Distribuição de literatura

f)     Motivação/Integração

g)    Utilização de recursos de mídia: Tv, rádio, imprensa, internet, celular, etc.

 

– EVANGELISMO PESSOAL

Um aspecto na vida pessoal do evangelista, assim como de qualquer crente, é a vida devocional. Não é simplesmente o caso de fazer e leitura diária, ou de estudar a Bíblia, ou de dizer orações, várias vezes ao dia. Tudo isso é importante, mas precisamos compreender que nossa vida devocional, é na realidade, a direção total a maneira completa de viver de uma pessoa e não simplesmente uma coisa que acontece durante uma hora do dia.

a)     Um verdadeiro Crente salvo em Jesus Cristo. At.9.9-15

b)     Um Cristão de vida exemplar: IPe.2.11,12; Rm.12.1,2

c)     Afável e cheio de simpatia. ICo.9.19-23: O evangelista deve lembrar-se de que está tratando com enfermos. A tendência de alguns evangelistas é tratar as pessoas como se fossem vítimas, ao invés de tratá-las com amor, compreensão e paciência. Esses tais dificilmente conseguirão conduzir almas à Cristo.

d)     Conhecer a vida dos homens e suas desculpas. Jo.4.16-18: Há os que dizem não ter tempo; os que apontam defeitos na vida de outros Crentes. O evangelista não pode ser apanhado de surpresa por essas desculpas, a propósito, é conveniente que se examine a série de desculpas relacionadas.

e)     Conhecer as seitas religiosas adversas crenças espíritas, sabatistas (adventistas), testemunhas de Jeová e outras, afim de que possa fazer frente às investidas, escudado na Bíblia.

Mt:28.19,20 “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo: Ensinando-as a guardar todas as coisas que vos tenho mandado; e eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”.

O manual do crente no evangelismo pessoal é a Bíblia, é evidente.

Alvos do evangelismo pessoal

  • Salvar os Perdidos
  • Restaurar os Desviados
  • Edificar os Crentes

Ganhar almas foi a suprema tarefa do Senhor Jesus aqui na terra.

Lc:19.10 – Porque o Filho do homem veio buscar e Salvar o que se havia perdido

ITm.1.15 – Esta é uma palavra fiel, e digna de toda aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal”.

 

O que o evangelista deve cultivar

a)  Oração fervorosa. At.3.1; 4.31. A evangelização é um combate espiritual contra as hostes das trevas, cuja vitória, depende do poder do Espírito Santo.

b)  A leitura: ITm.4.13. Deve estar procurando sempre aumentar seus conhecimentos, através da leitura da Bíblia e alguns livros devocionais, e meditação da Palavra de Deus.

c)  Desejo de ver as almas salvas. O objetivo do evangelista é ganhar almas para Jesus. Enquanto ele tem esse desejo ele será bem sucedido.

d)  Simplicidade na comunicação. O evangelista deve pedir a Deus que lhe dê simplicidade, poder e clareza. Esses são elementos fundamentais para o servo testemunhar de Jesus.

e)  Atualizar-se. O evangelista deve estar atualizado dos fatos que estão ocorrendo no dia a dia, porque só assim ele vai poder evangelizar a grande massa de pessoas na vida urbana, ou seja, na cidade.

Método do evangelismo pessoal

1 – Convencer que ele é um pecador: Rm.3.23; Is.64.6;

a)    Está separado de Deus: Rm.3.23

b)    Está condenado à morte: Ez.18.20; Rm.6.23.

c)    Está condenado à perdição eterna: Mt.25.41-46; Apoc.20.14,15

2 – Mostrar a providência de Deus:

a)    Deus enviou Jesus por amor: Jo.3.16; 1.1-14

b)    A missão de Jesus: Lc.19.10; IJo.3.8; ITm.1.15.

c)    A obra de Jesus para Salvação: ICo.15.3,4; Is.53.3-6; Rm.4.24,25; Hb.9.12.

3 – O que o pecador precisa para ser Salvo:

a)    Arrepender-se: Ez.18.31; Is.55.7

b)    Crer em Jesus como Senhor e Salvador: At.16.31; Rm.10.9,10.

c)    Confessar os pecados ao Senhor: IJo.1.9; Rm.10.9,10

d)    Invocar o nome do Senhor: Rm.10.13.

e)    Entregar a sua vida a Jesus e recebê-lo no coração: Jo.1.12; Sl.37.5; Apoc.3.20

f)     Confiar nas promessas da Escrituras: Jo.5.24.

4 – O que Deus faz quando o pecador se arrepende e crê:

a)    Deus perdoa: IJo.1.9; Is.1.18

b)    Deus redime: IPe.1.18,19; Ef.1.7

c)    Deus regenera: Jo.3.3; IICo.5.17

d)    Deus vem habitar no coração: Apoc.3.20; IJo.3.24

e)    Deus justifica: Hb.10.16,17

f)     Reconcilia: Rm.5.10; Ef.2.15,16.

 

EVANGELISMO EM MASSA

O evangelismo de massa, como o nome já indica, é aquele evangelismo que visa alcançar o indivíduo em um determinado grupo, seja este grupo grande ou pequeno.

Naturalmente, o objetivo do evangelista será, sempre alcançar o indivíduo. O trabalho do Espírito Santo na conversão é sempre individual, porém, no caso do evangelismo de massa, o trabalho primeiro atinge um grupo para depois atingir um indivíduo. Daí a necessidade do evangelista ter uma grande noção de evangelismo individual ou pessoal.

O fato do indivíduo estar dentro de um grupo cria circunstâncias e situações diferentes no evangelismo pessoal. Por isso este método deve ser muito bem estudado e aplicado com muita sabedoria.

 

EVANGELISMO AO ARLIVRE

Evangelismo ao ar livre é um dos meios estratégico de se pregar o evangelho com a finalidade de levar as Boas Novas aos perdidos. É um método estratégico, porque se realiza o culto de forma bem objetiva direcionado ao pecador, sendo que a estrutura da pregação se faz em um local público (praças, ruas, coretos, etc.) e geralmente aonde existe um fluxo maior de pessoas.

 

– Qual o diferencial de evangelismo no culto ao ar livre?

O diferencial do culto ao ar livre está ligado ao público alvo, normalmente esse tipo de culto visa alcançar o maior número de pessoas possíveis da região em que é realizado. É um instrumento muito eficaz de evangelização em massa, bastante usado em nossa igreja, que produz grandes resultados, pois normalmente muitas pessoas sentem-se inibidas ao irem à congregação, e usando esta estratégia estamos levando a igreja para as pessoas cultuarem a Deus, dando a oportunidade para elas ouvirem as Boas Novas com muita liberdade no ambiente natural (ao ar livre).

 

– O que os cristãos não devem fazer durante o culto?

Estarem desatentos, irreverentes, sem seriedade no trabalho a ser realizado. Despreparados para auxiliarem os pecadores na entrega de suas vidas a Jesus.

 

– O que fazer diante de uma manifestação contrária?

Não perder o foco e nem a postura, mais ir até o fim, pois esta obra evangelística assim como qualquer outra, requer preparação espiritual e nestas ocasiões devemos “resistir o diabo e ele fugirá de nós”. Com convicção e autoridade devemos prosseguir o culto conduzido pelo Espírito Santo, agindo é claro, com muita prudência e sabedoria de Deus.

 

– Quais são os melhores lugares e horários para a realização de um culto ao ar livre?

O pescador experiente ao realizar uma grande pesca, ele analisa primeiramente o local em que vai pescar, ele certifica se realmente naquele local existem peixes. Depois de constatar a existências de peixes ele verifica o tipo de isca que ele vai usar ou o método da pesca, se o objetivo for pescar vários tipos de peixes de uma vez ele usa então uma tarrafa ou uma rede. Contextualizando a questão podemos dizer que o local para realização do culto ao ar livre deve se um local próximo de uma concentração de pessoas, aonde existe um fluxo de pessoas, respeitando sempre os horários permitidos nos estabelecimentos públicos.

 

– Como realizar a divulgação de um culto ao ar livre?

A divulgação pode ser feita através de uma equipe preparada que antes do culto passa nas casas, na vizinhança, nas ruas divulgando e panfletando, pode-se fazer a divulgação também através de um carro de som, moto-som, ou usando o próprio aparelho de som instalado entes de iniciar o culto.

 

Lembre-se Jesus realizou a maior parte de seu ministério no ar livre, seu púlpito muitas vezes foi na beira da praia, no monte, nas casas, etc.

Leonardo Carlos

Meu nome é Leonardo Carlos, Desenvolvedor web, Designer Gráfico, Consultor em Marketing Digital certificado. Atua na área da internet desde 2006. Agora quer ajudar você a construir seu negócio de sucesso na internet.

Website: http://www.leonardocarlos.com.br

1 Comentário

  1. ferado

    gostei muito desses projetos vou usar a miha igreja….

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.