Resenha do Livro – O Evangelho Maltrapilho

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

O Evangelho MaltrapilhoBatizado Richard Francis Xavier, o escritor Brennan Manning nasceu e cresceu, num subúrbio do Brooklin em Nova York junto com 2 irmãos. Tentou estudar jornalismo na Universidade de Missouri, mas acabou fazendo um seminário católico, impulsionado através da palavra de um conselheiro e seus questionamento pessoais. Graduou-se em Filosofia e Teologia, pelo seminário St. Francis Católico Romano. Faleceu em 12 de Abril de 2013.

O autor tenta nos mostrar logo no início como a palavra graça tem sido banalizada nos dias de hoje. Onde só somos recompensados se fizermos algo por merecer.

Brennan fala que o fundamental para se ter uma vida saudável é entender a graça. Muitos cristãos hoje da serviço de bordo para o evangelho da graça mas continuam a viver suas vidas como se a disciplina pessoal e auto negação irá moldá-los para a pessoa que Deus deseja. Seguindo uma linha reta direta ao abismo do inferno. Embora a disciplina seja uma parte da experiência cristã, um foco equivocado coloca a ênfase sobre nós e que nós somos ou não estamos fazendo, fazendo com que o evangelho da graça seja irrelevante.

O autor chama a atenção também pelo fato de que jesus passava a maioria do seu tempo com pessoas, pobres, doentes, cobradores de impostos, pecadores, perseguidos, oprimidos, os maltrapilhos. O reino de Deus pertence às pessoas que não estão tentando ficar bem não conspirar para fazer um movimento político em prol de si mesmo. Ele pertence a que não interessa o que os outros pensam, fazer ou dizer. Ele pertence aqueles que sabem o que realmente são.

O evangelho maltrapilho é uma mensagem para o sujo. O maltrapilhos do nosso mundo que nos cercam, assim como eles se reuniram em torno de Jesus, o maltrapilho cristão é aquele que se procura a pessoa necessitada e traz uma mensagem de esperança.

Vemos também que o poder do Evangelho só pode transformar nossas vidas quando somos honestos com nós mesmos e uns aos outros. Quando somos honestos, percebemos como somos dependentes e quanto precisamos de Deus. Não importa a nossa posição social no mundo e sim nossa posição espiritual para Deus.

Quando a graça nos afeta, ficamos maravilhados com o seu poder. Quando a graça nos toma, e agimos como Jesus, o mundo nos olha com admiração. Em um mundo escuro cheio de ódio e preocupação, é preciso um toque de loucura para acreditar que, mesmo quando nossas escolhas sejam destrutivas e suas consequências nocivas, o amor de Deus permanece inabalável.

O autor trás na mensagem do livro é que a maioria de nós acreditamos na graça de Deus, pelo menos em teoria. Mas de alguma forma não conseguimos aplica-la em nossas vidas diárias. Onde vemos Deus como um contador, registrando nosso fracassos e sucesso em um bloco de anotação. Mas a verdade é que Deus deliberadamente se estende a nós a Sua graça, independentemente de nossas realizações ou fracassos. Chegamos a ele como maltrapilhos, sujos e objetos escolhido de seu amor. A cultura de hoje se orgulha de segurança, riqueza circunstância, status social e realização pessoa. E a igreja adquiriu esses valores. Muitos crentes são apanha na teia de competir uns com os outros e irem atrás dessas ideias artificiais. Quando nós abraçarmos a graça de Deus podemos aproveitar a alegria de um evangelho que cuida e alimente os mais necessitados.

 MANNING, Brennan. O Evangelho Maltrapilho. Traduzido por Paulo Purim. São Paulo. 1ª Ed. 2005. Mundo Cristão.

Deixe uma resposta